[Review] Do primeiro disco de San Holo, o ‘album1’

[Review] Do primeiro disco de San Holo, o ‘album1’

3
2609
0
terça-feira, 25 setembro 2018
Reviews

Antes de começar o review, é legal falar que o álbum teve colaboração de diversos artistas, como Bipolar Sunshine, Duskus, Cassini, James Vincent McMorrow, Caspian e The Nicholas. Ele foi lançado no último dia 21 e já atingiu o primeiro lugar na lista de álbuns de música eletrônica no iTunes.

everything matters (when it comes to you) – A introdução do álbum não poderia ser melhor, desde seu inicio já vemos as notas melódicas, e de um modo muito suave, agradável aos ouvidos, a música demonstra uma progressão muito bonita, aos poucos vai acelerando até os três minutos. Depois disso ocorre uma virada no som, uma energia mais diferente dessa vez, uma pegada mais alegre. Sua parte final conta com alguns instrumentos tocados, como violinos e violões, é sem dúvida alguma, uma track que te envolve do começo ao fim!

lift me from the ground (feat. Sofie Winterson) – Essa é a mais conhecida do álbum, foi lançada logo de cara como single, juntamente com ‘worthy’, ‘lift me from the ground’ atingiu rapidamente a marca de um milhão de streams, com ótimos vocais da Sofie Winterson, a faixa não tem aquela pegada de música para festival, mas já vimos San tocando ela ao vivo, e a resposta é extremamente positiva, muito pelo fato dele também tocar ela na guitarra em seus shows, é uma chamada muito legal pra galera ouvi-la

show me – Os sentimentos começam a rolar nessa música, com um vocal bem calmo, e uma batida mais lenta, San Holo nos envolve mais uma vez com muita facilidade, nos faz viajar enquanto ouvimos. Sem contar que os vocais que ouvimos na música foram feitos pelo próprio San, mostrando novamente o quão talentoso ele é.

brighter days (feat. Bipolar Sunshine) – Antes de começar a falar sobre a música, vale lembrar que Bipolar Sunshine já fez o vocal da música ‘Middle’ do DJ Snake. A track conta com um vocal muito viciante, aquela pegada mais pop mesmo, mas com toda a identidade musical de San, o drop é daqueles diferentões, que pode até ser meio estranho nas primeiras vezes que escutamos, mas depois nos acostumamos e curtimos demais!
Abaixo vou deixar o link da apresentação deles numa premiação, o ‘3FM Awards’.

always on my mind (feat. Yvette Young & James Vincent McMorrow) – Essa é uma das faixas mais trabalhadas do álbum, que conta com um violino tocado extremamente bem pela Yvette Young, um vocal muito bom do James Vincent McMorrow, e claro, a produção de San Holo. Ao mesmo tempo que ela conta com instrumentos mais clássicos, ela conta também com um beat bem atual, que nos remete bastante até mesmo a alguns ‘traps’ da atualidade.

go back in time – A track conta novamente com vocais do próprio San, com uma letra bem emotiva, e um drop recheado de notas distorcidas e melódicas, é uma das músicas mais diferentes do álbum, mas diferente não quer dizer algo ruim, ainda mais falando dessa música! Ela nos cativa desde seus momentos iniciais, o vocal é como um looping, que consequentemente nos vicia quase que instantaneamente.

love (wip) (feat. Cassini) – Particularmente falando, essa era uma das músicas que eu mais queria ouvir no álbum, muito por conta do Cassini, que há alguns anos, tinha lançado a ‘It’s Almost Dark’ pela própria bitbird, e recentemente ganhou um clipe oficial que você pode conferir abaixo:

Agora, voltando a ‘love (wip)’. Ela conta com uma bela progressão durante quatro minutos, no drop conseguimos ver muitas coisas da identidade musical de San Holo, mas também as notas melódicas que Cassini costuma colocar em seus sons. A música conta também com alguns vocais sampleados, que passam uma atmosfera mais reflexiva ao som, traz um tom melancólico para a canção. Mais pra frente, a música sobe mais uma vez, e explode no drop, trazendo uma vibe muito diferente, dessa vez bem positiva, que toca o emocional com certeza.

voices in my head (feat. The Nicholas) – E aqui temos mais uma track com um ótimo vocal, com um grande drop. É a combinação perfeita, a letra é mais uma vez mais puxada para o sentimental, mas que não é necessariamente triste, e sim, traz uma paz incrível enquanto ouvimos, sem muitas palavras para essa aqui, só posso dizer que é uma das melhores do álbum!

worthy – Pra mim, é a canção mais bonita deste álbum, tem uma carga emocional enorme em quem está ouvindo, a música é bem melancólica o tempo inteiro, é daquelas que até te faz chorar, dependendo de seu estado emocional no momento, ela lava a alma, de verdade, hahaha. Ela também é uma das melhores produzidas do disco, e conta com vocais perfeitos do próprio San Holo, que passa todo esse sentimento melancólico no seu tom de voz, é simplesmente incrível.

forever free (ft. Duskus) – Essa é mais uma grande concorrente á melhor música do álbum, ela tem uma vibe bem club, algo mais comercial, que com certeza poderíamos ouvir tocando nas rádios ao redor do mundo. Não é a primeira vez que os dois se juntam para fazer música, há alguns meses lançaram a ‘Take Me Home’, que você pode conferir abaixo:

A música vira outra a partir dos três minutos, uma pegada mais ‘chill’ domina a faixa, trazendo mais uma vez, aquele som mais reflexivo, melancólico, até subir novamente para o drop, que vem cheio de energias boas!!! Mais uma produção incrível dos dois DJ’s.

surface (feat. Caspian) – Eu não sabia o que esperar dessa faixa, de verdade. Mas devo dizer que fiquei surpreso com o que eu ouvi, ela está no meu top 3 desse álbum com toda certeza, a construção das suas melodias, as escalas mais altas que foram usadas nela, traz toda uma atmosfera pra música, é algo aconchegante se posso dizer assim, me atrevo a falar que essa foi uma das melhores produções do San Holo até aqui, tudo nessa música faz sentido, tudo se encaixa perfeitamente, vale seu play com toda a certeza!

vestal avenue – O álbum tem um desfecho sensacional, digno de trilha sonora de filme! A música conta com a co-produção do Curitibano ‘Marcioz’, que já apareceu diversas vezes na gravadora do holandês. A música passa uma carga emocional bem grande, mais uma vez abusando da melancolia em suas notas, e uma construção impecável, conta com pianos e outros instrumentos, é uma faixa rica em quesito de produção, e fecha o álbum com maestria.

Confiram o álbum:

 

Fiquei realmente impressionado com o que foi apresentado no álbum inteiro, a cada música, era uma surpresa diferente, até então, nunca tinha visto San Holo ir tão longe em suas produções, e ficou muito claro de que ele estava bem a vontade para produzir esses sons diferentes, sons que a galera não estava habituada a ouvir dele, e isso é incrível. Demonstra o quanto ele evoluiu ao passar dos anos, e justifica a demora para a construção do álbum, é com certeza um dos melhores do ano até aqui. San Holo agora embarca no seu tour, e ficamos na espera de que alguma data seja confirmada em terras tupiniquins, alô Lollapalooza, vamos providenciar isso o quanto antes, hein?! 

SIGA AS REDES SOCIAIS DO SAN HOLO:

Spotify | Instagram | Twitter | Website | Facebook | Soundcloud

Brunno Coelho

Paulista de 19 anos, e criador de conteúdo da Universo EDM desde 2015. Apaixonado por Progressive House e Bass Music. Antenado tanto na cena mainstream quanto no underground, sempre visando trazer novos nomes para o público.

38 posts | 0 comments